Iniciativa da Nestlé ajuda o consumidor a fazer escolhas mais conscientes

Projeto Gôndolas Saudáveis nasceu de uma pesquisa realizada pela companhia sobre a percepção dos consumidores sobre produtos mais saudáveis

O Brasil é atualmente o quarto maior mercado de itens saudáveis no ranking global: cresceu 49% nos últimos cinco anos e movimenta R$ 32 bilhões, segundo dados da consultoria Euromonitor. Os números mostram que as pessoas estão cada vez mais conscientes sobre a importância de hábitos alimentares equilibrados para a saúde. Em linha com esse cenário e com seu propósito de melhorar a qualidade de vida e contribuir para um futuro mais saudável, a Nestlé se aliou à MindMiners, empresa especializada em pesquisa de mercado, para entender e se aprofundar nos hábitos e atitudes do consumidor em relação a esse universo de produtos. O levantamento considerou uma amostra de 300 pessoas das regiões Nordeste, Sudeste e Sul.

“Há um entendimento ainda muito frequente de que os produtos saudáveis são somente aqueles diet e light, sem glúten e lactose ou naturais e orgânicos. Mas sabemos que existem outras frentes que vêm crescendo como os produtos com alto índice de proteínas, de origem vegetal e com adição de ingredientes positivos como vitaminas, fibras e minerais e a pesquisa nos trouxe subsídios para entender isso”, ressalta a gerente de Nutrição, Saúde e Bem-Estar da Nestlé, Gisele Pavin.

Resultados da pesquisa
Entre os principais achados da pesquisa está a percepção do consumidor sobre o que são produtos com características mais saudáveis. Os mais citados foram itens naturais, orgânicos e sem aditivos, além de produtos com menos açúcar, sódio ou gordura e os 100% integrais. Também figuram na lista ingredientes positivos (vitaminas, minerais, frutas, castanhas e sementes) e produtos com origem vegetal. No ranking por produto, os itens considerados mais saudáveis são aveia, granola, orgânicos, farinhas, grãos e sementes.

A pesquisa também levantou os critérios de compra do consumidor quando se fala em produtos mais saudáveis. Para 71% dos entrevistados, propagandas na Internet chamam a atenção para os produtos, além da compra em feiras de rua (96%) ou hortifrutis (74%). Outro dado interessante mostra que 60% dos entrevistados pesquisam produtos e preços em aplicativos antes de ir à loja e 79% gostam de interagir com suas marcas preferidas pelas redes sociais.

Gôndolas saudáveis
Com base nos dados da pesquisa e um extenso trabalho de análise de portfólio do cliente, a Nestlé criou o projeto Gôndolas Saudáveis. O projeto prevê uma nova organização e distribuição dos produtos nos pontos de venda, a partir de pilares como Complementos e Suplementos, 100% Integrais, Naturais e Orgânicos, Base Vegetal e Zero (este último pilar engloba zero adição de açúcares, lactose e glúten), de acordo com o perfil de cada loja.

“A ideia de criar espaços organizados para os produtos considerados saudáveis surgiu após muitos de nossos parceiros nos questionarem sobre como criar esse espaço nas lojas, exatamente pelo fato de identificarem que o shopper tem dificuldade de identificar e encontrar esses itens nos pontos-de-venda. “Quando organizamos o espaço e levamos em consideração o mix que cada loja oferece e o espaço físico, damos a oportunidade de combinar portfólio diversificado com experiência de compra e, assim, orientar o consumidor no processo de escolha”, explica a gerente nacional de gerenciamento de categoria da Nestlé, Barbara Ribeiro. Um piloto já está em execução na rede Pague Menos, em Nova Odessa (região de Campinas) e deve se expandir para outras praças ao longo de 2020.”

Jornada da Nestlé Brasil
A Nestlé iniciou uma jornada global de renovações e inovações de portfólio, que se intensificou na última década, para atender a novos perfis e oferecer soluções que levem saúde, nutrição e bem-estar ao consumidor. No Brasil, nos últimos cinco anos, investiu mais de R$ 400 milhões em pesquisas e lançamentos de produtos mais saudáveis, além da renovação de itens que já fazem parte do mix da companhia. Desde 2014, foram reduzidas mais de 14 mil toneladas de açúcares, mais de 5 mil toneladas de gorduras saturadas e mais de 300 toneladas de sódio.

Em outra frente, a Nestlé vem investindo de forma consistente em produtos plant-based globalmente. No Brasil, entre 2017 e 2019, foram mais de R$ 15 milhões em portfólio à base vegetal, entre amêndoa, aveia, ervilha e arroz. Os alimentos plant-based constituem parte da alimentação vegana e vegetariana, mas também atendem aos flexitarianos, ou seja, pessoas que seguem uma mudança de comportamento para reduzir o consumo de itens de origem animal, além daqueles que buscam adotar hábitos alimentares e estilos de vida diversificados.

 

Fonte: Revista Live Marketing

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.