5 TENDÊNCIAS DO VAREJO QUE VOCÊ AINDA PODE APOSTAR EM 2018!

O mercado está mudando constantemente para se adaptar às transformações digitais de um mundo cada vez mais imerso em tecnologia. Com isso, vemos surgirem diversas tendências do varejo todos os dias para garantir melhores resultados para as empresas.

No início deste ano (lá em janeiro), ocorreu a NRF Retail’s Big Show, que é simplesmente o maior evento do mundo sobre varejo. Ele acontece anualmente na cidade de Nova York e lá são apresentadas e demonstradas as principais tendências no setor para um futuro próximo.

Para mostrar a você o que ainda esperar de 2018 e no que apostar neste segundo semestre do ano, apresentamos neste post algumas das tendências que tiveram destaque no evento.

1. ALINHAMENTO DE CANAIS FÍSICOS E DIGITAIS

A revolução digital já está transformando os mercados e o perfil do atual consumidor não é o mesmo de apenas alguns anos atrás. Com a possibilidade de realizar pesquisas de preço e qualidade sentados no sofá de sua sala devido à popularização da internet e dos dispositivos móveis, os clientes estão muito mais exigentes.

O que é priorizado pelo consumidor hoje é a experiência com a marca, a chamada jornada de compra. Ele busca se encantar pela marca e ser educado por ela. Poucas pessoas ainda fecham um negócio sem pesquisar muito sobre o assunto antes e ter a certeza de escolher o melhor.

Uma tendência já observada no varejo atual é a possibilidade de o cliente transitar entre os canais de venda da empresa sem nenhum tipo de diferenciação. Antes, as vendas pela internet eram consideradas um concorrente das lojas físicas. No atual contexto, todos os canais trabalham em parceria para o fechamento do negócio.

Para que esse alinhamento seja possível, é preciso que a empresa crie canais de comunicação que permitam que as informações circulem livremente entre o digital e o físico, possibilitando que o atendimento comece em um e seja finalizado no outro.

2. MELHORIAS NA EXPERIÊNCIA DE COMPRA MÓVEL

Segundo uma pesquisa divulgada em 2017 pela Fundação Getúlio Vargas, até outubro daquele ano o Brasil iria contar com um smartphone em funcionamento para cada pessoa no país.

Esse número pode nos dar uma pequena ideia do tamanho do mercado de vendas em dispositivos móveis e muitas empresas já notaram que não basta apenas permitir que seus websites sejam acessados por smartphones ou tablets: é preciso adequá-los.

Boa parte dos gestores ainda ignoram o fato de que muitos acessos a sites de varejo são realizados por meio de dispositivos móveis, e o modelo comum web não permite uma boa experiência. Layouts responsivos são uma tendência na busca por ofertar uma navegação eficiente.

É natural que a equipe opte por desenvolver em um primeiro momento as versões web de um site e apenas as adapte posteriormente para o mundo móvel. No entanto, o ideal é buscar criar versões diferentes, tendo em vista o menor poder de processamento dos dispositivos móveis em relação aos desktops.

3. MAIOR SEGURANÇA E PRIVACIDADE

Em 2017 uma grande empresa de varejo no ramo de calçados e itens desportivos foi vítima de uma invasão e teve diversos dados de seus clientes vazados na internet. Uma situação como essa pode levar à perda de confiança por parte dos consumidores e prejudicar uma estratégia de presença on-line.

Vender na internet sempre trouxe uma preocupação a mais para as empresas de varejo, com a segurança da informação e a privacidade dos clientes. O que estamos percebendo neste ano é um aumento de investimentos nessa área por parte das companhias para evitar situações como a descrita acima.

Algumas tendências estão surgindo nessa modalidade do varejo com vistas a salvaguardar os dados dos consumidores que realizam suas compras on-line e aumentar a sua confiança para realizar negócios na rede.

Podemos observar o surgimento de diversas ferramentas tecnológicas, como certificados de segurança, banners e adoção de selos de garantia. A utilização de gateways para proteção durante o pagamento on-line também é cada vez mais adotada.

4. AUTOMAÇÃO DE PROCESSOS

inteligência artificial está presente em nossas vidas e sistemas autônomos já estão virando uma realidade. A automação de processos continua em alta, uma vez que agora os softwares inteligentes estão sendo capazes de realizar cada vez mais tarefas.

Com isso, não só automatizar processos morosos e repetitivos é uma tendência, mas também algumas tarefas complexas que exigem mais, como é o caso do atendimento ao cliente por chat.

As soluções de chatbot já estão presentes nas grandes corporações e são capazes de atender o consumidor, interagindo em linguagem natural, passando-se por um atendente humano. Elas garantem uma melhor experiência ao buscar as preferências do cliente em um enorme banco de dados, entregando soluções que estejam de acordo com suas demandas e anseios.

A automação também diminui a ocorrência de falhas nos processos decorrentes da interação humana nos processos, como falta de informações e dados duplicados ou errôneos.

Uma das grandes vantagens de automatizar tarefas dentro das rotinas da empresa é que os colaboradores terão mais tempo livre para se dedicar ao que importa, ou seja, desenvolver o negócio da empresa.

Por meio da automatização também é possível alinhar e integrar sistemas de forma fácil, o que evita que informações desencontradas circulem e acabem por prejudicar o negócio  —  por exemplo, realizar a venda de um item em falta no estoque.

5. COMPARTILHAMENTO

Uma tendência em alta na Europa é o chamado compartilhamento. Esse conceito é muito simples de se entender. Imagine que você precisa de um carro para se locomover alguns dias da semana e seu vizinho também. Por que não comprar esse veículo em conjunto e cada um usa um pouco?

O compartilhamento de produtos e serviços é cada vez mais comum e se espera que o conceito chegue de vez a terras tupiniquins e vire moda. Algumas empresas de varejo já visualizaram oportunidades de negócio nesse novo mercado e estão investindo em ações que possam permitir que se aproveitem dessa tendência.

Algumas corporações já estão alterando o seu modelo de negócio baseado em compra e venda para um voltado ao aluguel, permitindo assim que produtos e serviços possam ser adquiridos e compartilhados pelos usuários.

Os modelos de negócio estão se transformando e boa parte dessas mudanças tem relação com a globalização e as novas tecnologias. É preciso se manter atento às tendências do varejo para aproveitar todas as novas oportunidades e se manter competitivo.

 

Fonte: Market Voice

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.